Pandemia da Covid-19: acne durante a quarentena é queixa comum

Pandemia da Covid-19: acne durante a quarentena é queixa comum

O isolamento social, que foi adotado no mundo inteiro como resposta à pandemia da Covid-19, alterou radicalmente a rotina das pessoas. Essa mudança, em alguns casos, originou hábitos que podem comprometer a saúde da pele. A acne durante a quarentena é uma das queixas mais comuns no consultório da doutora Luciana Cattini, especialista em dermatologia pela SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) e AMB (Associação Médica Brasileira). “Queda de cabelo e dermatite seborreica são as outras duas reclamações mais feitas pelos pacientes”, diz a dermatologista. 

Esses três casos podem estar ligados ao estresse e à ansiedade, duas reações psicológicas muito relatadas durante o confinamento. A incerteza sobre o amanhã, especialmente sobre o término da quarentena, está tirando o sono dos brasileiros, que demonstram preocupação não apenas com sua saúde como também com a economia. Sobre a influência de fatores emocionais para a queda de cabelo, vale a pena ler o post que escrevemos recentemente. 

Considerada crônica, com períodos alternados de melhora e piora dos sintomas, a dermatite seborreica é uma inflamação na pele que resulta em descamação e vermelhidão na face, principalmente nas sobrancelhas e nos cantos do nariz, bem como no couro cabeludo e nas orelhas. Um dos motivos para sua aparição é o estresse emocional.

A acne pode vir acompanhada da dermatite seborreica porque o processo causador é o mesmo: aumento da produção da glândula sebácea com possível inflamação. Essa glândula produz oleosidade, e um dos motivos para sua hiperestimulação é creditado ao cortisol, também conhecido como “hormônio do estresse”, por causa da relação direta entre estresse/ansiedade e aumento da liberação pelo organismo de cortisol.

Acne durante a quarentena: higienização inadequada da pele

A acne durante a quarentena pode ser também explicada pela higienização inadequada da pele. Como as pessoas não estão saindo de casa, a tendência é de relaxamento dos cuidados com a pele. “É fundamental continuar cuidando da pele, da aparência, também devido ao aspecto psicológico, já que se sentir bem contribui para melhorar o bem-estar e o humor”, recomenda Luciana. 

Para isso, ainda de acordo com a dermatologista, é importante que as mulheres higienizem a pele duas vezes por dia: ao acordar e antes de dormir. “Se não fizer isso, a oleosidade natural da pele leva à obstrução dos poros, podendo causar o início da acne, por meio do surgimento dos comedões, conhecidos popularmente como cravos”, explica a doutora. A limpeza da pele pode ser feita com uma solução micelar, produto que higieniza, demaquila e trata a pele do rosto por funcionar como uma espécie de tônico e demaquilante ao mesmo tempo, conforme comentamos neste post.

“Sejam quais forem os produtos escolhidos pelo paciente, a higienização deve contemplar sabonete e tônico, sendo este último mandatório no período noturno antes de dormir”, afirma Luciana. Quanto ao sabonete, a recomendação é optar pelo líquido, de preferência pelo syndet. Leia o post sobre como escolher sabonete e hidratante clicando aqui. 

Em caso de aumento da oleosidade, a orientação é utilizar sabonete voltado para pele mais oleosa. O tônico igualmente deve ser trocado, com a substituição do tipo calmante pelo adstringente, que também tem como proposta o combate à acne. Com esse objetivo específico, aliás, devem ser buscados produtos com as seguintes substâncias: retinoide, retinaldeído, ácido salicílico, ácido azeláico e peróxido de benzoíla. Essas soluções reduzem ou até mesmo inibem a produção de secreção pela glândula sebácea, e algumas delas oferecem ação anti-inflamatória e antibacteriana, melhorando os casos de acne vermelha e com secreção amarela no centro.  

Acne durante a quarentena: alimentação ruim

A alimentação ruim é outra causa de surgimento de acne. “As pessoas com predisposição à acne podem ter piora do quadro se adotarem uma dieta rica em gorduras, com destaque para frituras, e carboidratos simples, como farinha branca, porque esses alimentos estimulam a produção de oleosidade”, explica Luciana.

Atenção também para leites e derivados, incluindo Whey Protein, já que a proteína do leite está relacionada com o estímulo da proteína IGF1, produzida no fígado, que provoca aumento da produção da glândula sebácea. Da mesma forma, os suplementos alimentares que contenham vitaminas B6 e B12 devem ser evitados.

“Os pacientes sempre perguntam preocupados se chocolate dá acne. Afinal de contas, quem não gosta de chocolate? O cacau em si não dá, mas o açúcar e o leite, ingredientes do chocolate, podem provocar acne”, diz Luciana, para desespero dos chocólatras. E a explicação é a seguinte: o açúcar gera pico de insulina no organismo, fazendo com que ele seja transportado para o interior das células, o que estimula a formação de acne.

Você está apresentando acne durante a quarentena? Atenção para as causas citadas neste post. Sinta-se à vontade para enviar suas dúvidas e deixar seus comentários. A Dra. Luciana está à disposição!

Deixe um comentário

Your email address will not be published.