DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis)

Dermatologia Clínica

dsts

A sifílis é uma doença sexualmente transmissível cujos sintomas são úlceras genitais, lesões cutâneas, meningite, doença aórtica e síndromes neurológicas. Pode ser transmitida de forma não sexual por meio do contato cutâneo ou transplacentário (gravidez). Nesse caso, é chamada de sífilis congênita.

Nos últimos anos, o número de casos de sífilis vem crescendo. Entre 2014 e 2015, houve aumento de 32% entre adultos e de mais de 20% em mulheres grávidas.

A doença tem quatro fases que vão agravando o quadro: primária, secundária, latente e terciária. Na primária, o único sintoma é uma ferida, indolor, na área infectada, que some no fim dessa fase. Na secundária, os principais sinais são machucados pelo corpo, que se concentram nas mãos e nos pés. Na latente, as feridas e os sintomas desaparecem, e a doença passa a não ser mais contagiosa. Apenas parece que o paciente melhorou, já que, na fase seguinte, a terciária, a sífilis reaparece potente e causa deformações nas pernas, atacando o rosto e o cérebro.